gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Samba de breque

resultado encontrado

07 07 2012

O excêntrico elã do zelador da síncope

Em pouco mais de duas horas de entrevista, as pernas de Germano Mathias não se aquietaram, tensas, como que se antecipando à tônica do corpo, o tão expressivo corpo – também ele sincopado – de quadril forçado ao suingue nos 47 anos de carreira. Os olhos esbugalham, a língua se contrai,

07 07 2012

Perdeu-se o elã, perdeu-se a elegância, perdeu-se tudo!

[Após a equipe se acomodar na sala do apartamento de Germano Mathias] Germano Mathias – O fato é que... tem que ter roupa de sambista. Ele não tem. Tem roupa de sambista? Ele parece comum, como qualquer um que anda pela rua. Ele é o Zeca Pagodinho... anda como quiser. Mas aí ele aparec

07 07 2012

Sou meu fã!

Tacioli – O Moreira da Silva tinha essa elegância de que você fala? Germano – Tinha, claro. Tudo tem uma característica. As pessoas não usam logotipo? É para identificação. Se não, fica comum. É como eu disse... Se eu entro na linha dos sambistas que estão gravando agora, fica um

07 07 2012

Entrevista não dá retorno. A não ser a Gabi

Max Eluard – Tô vendo que você tem muito prazer em ouvir seus discos. Como é que você fez com todos esses anos sem gravar? Germano - Veja bem, não é que fiquei sem gravar. Participei de alguns discos mas não era eu somente. Não estava sozinho. O primeiro que gravei sozinho foi lançado

07 07 2012

Estou feliz porque esse CD pode me projetar nas paradas

Almeida – Você começou em programa de calouros no rádio, né? Como você vê esses programas, como o Fama, da TV Globo? Germano – Olha, esse povo todo que tá aparecendo agora... Não vai ter canto para eles. Sabe por quê? Porque todo mundo quer ser cantor hoje em dia e satura a praça.

07 07 2012

Quem faz essas coisas hoje? Só eu, que sou um irreverente

Tacioli – Olha o cartão do Gafieiras. Germano – É um conjunto? Tacioli – É o nosso site. Germano – Ah, o site. Depois você me passa direitinho, porque a minha filha pega no computador. Tem também um amigo meu que é compositor, o Caio Silveira Ramos [n.e. Autor da biografia Sam

07 07 2012

O meu show é um espetáculo!

[Vai e volta com uma maleta onde estão um chapéu, a latinha, o repertório e o par de sapatos de couro de bode] Tacioli – Olha só... Brilhando. Almeida – Quantos anos tem essa latinha? Germano – Ah, faz tempo, ganhei de um amigo meu. Seabra – Você preza tanto a elegância...

07 07 2012

Ela não gosta quando eu falo essas coisas

Germano - Olha, aqui é uma cena do Catedrático do samba, um curta-metragem... Ganhou em Kiev na Ucrânica um prêmio de... como é mesmo o nome? Não é honra ao mérito. Almeida – Prêmio do Júri? Germano – Não. Como é mesmo o nome? Max Eluard – Menção Honrosa? Germano – Co

07 07 2012

Tenho que agitar a mente. Gosto de palavras cruzadas!

Almeida – Germano, você sempre se deu bem com a imprensa? Germano – Sempre. Porque não sou orgulhoso, não tenho orgulho. O orgulho ficou na barriga da minha mãe quando ela morreu. Sou a pessoa que sou. Sou muito leal, muito verdadeiro. Sou incapaz de trair uma pessoa. Inclusive, quando

07 07 2012

Somos hoje o que construímos no passado

Almeida – E a leitura metafísica? Germano – Metafísica é tudo que é transcendental. A base da Metafísica é Allan Kardec. Depois você passa para Teosofia, Budismo, Esoterismo... Tudo que acaba com “ismo”, menos comunismo. [ri] Entende? Então, eu aceito a lei da reencarnação e vi

07 07 2012

Fiz muita besteira na minha vida, viu?

Seabra – Você disse que gastou muito dinheiro... Germano – Ah, gastei muito dinheiro em farras! Seabra – Conte um pouco sobre essas farras. Germano – Eu ia pro Jockey Club... Jantava no Jockey Club com quatro mulheres! [ri] Não dava conta nem de uma, queria quatro! [risos] [Dona Iv

07 07 2012

Eu pensava que era Deus no Céu e eu na Terra

Tacioli – Você magoou muita gente? Germano – Com certeza devo ter feito isso. Porque depois comecei a não seguir mais um caminho certo, não obedecer mais o que a gravadora mandava. Hoje, se a gravadora mandar cantar na privada, eu vou. Vou mesmo. A gente tem que sofrer para aprender. Ho

07 07 2012

Tudo vai depender da aceitação que eu tiver nas rádios

[Almeida vai ao banheiro] Germano – Faça o favor, pode entrar. Vocês querem ir lá? Querem tirar a água do joelho? Tacioli – Daqui a pouquinho eu vou. Germano – Quer afinar o contrabaixo? [risos] Quando alguém se levanta no show, eu mando, “Já vai lá, meu filho?! Mais de trê

07 07 2012

Tenho três projetos de discos

Max Eluard – Você é otimista, Germano? Vejo os programas que você citou - o da Adriane Galisteu, o da Luciana Gimenez -, e eles costumam dar muito mais espaço para essa nova geração de pagodeiros, esse povo que toca hoje... Você acredita que eles vão lhe dar algum espaço? Germano –

07 07 2012

A divisão é o ponto comum entre o forró e o samba

Tacioli – Os projetos de discos são ótimos. Germano – É, são três. Por exemplo, esse do forró tem três forrós, cada um com uma letra só. [silêncio] Germano – Tem o “Coco com C”, “O Forró do F” e “Coco do M”... tudo com a letra C, tudo com a letra F, tudo com

07 07 2012

A Atração foi a única que me abriu o caminho

Seabra – Vamos imaginar que você faça mais um CD na Atração e uma outra gravadora lhe convida para fazer um desses três. Germano – Não, eu não quero sair da Atração, porque a gravadora foi que... Não costumo defecar no prato que como. [risos] Orra, puta que o pariu! Defecar... M

07 07 2012

Se eu tivesse nascido negro teria mais oportunidade

Seabra – Germano, em algum momento você gostaria de ter nascido negro? Germano – Olha, acho que se eu tivesse nascido negro teria mais oportunidade. [ri] Como sambista, né? Mas como eu estava dizendo... O cara disse assim, quer dizer, pensei que ele fosse dizer “Falou a voz da ignorânci

07 07 2012

O Geraldo Filme era bom. Cheguei a gravar um samba dele

Tacioli – Como era o seu relacionamento com o Adoniran Barbosa? Germano – Eu não cantava o tipo de samba dele. Tacioli – Mas você conversava com ele? Eram amigos? Germano – Conversava. Dávamo-nos bem. Nunca houve nada entre nós. Mas os sambas dele não eram do meu gênero, eram ma

07 07 2012

Fui expulso do Exército!

Seabra – [mostrando a capa de um dos primeiros discos do Germano Mathias] Realmente era um sambista diferente! Parece filme de Hollywood. Germano – Você vê como era o chapéu da época, a aba, camisa listrada... Seabra – Aqui você tinha quantos anos? Germano – Ah, meu filho, eu t

07 07 2012

Fui o primeiro branco a fazer tudo o que o negro faz

Germano – O lugar em que mais tive cartaz foi no Rio Grande do Sul. O gaúcho gosta muito de samba desse estilo. Paraná também. Estive também em Pernambuco. Inaugurei a TV Jornal do Comércio de Recife. Eu, Maísa Matarazzo, Agostinho dos Santos e Éder Jofre, que era campeão na época. Ho

07 07 2012

Orra, mas veio uma gangue grande, hein?

Tacioli – A gente está encerrando. Se eu precisar de alguma coisa... Falamos de muita coisa aqui... Germano – Pode ligar. Estou sempre à disposição. Aproveita e coloca meu celular na reportagem... Tô vendendo show à baciada. [risos] 3 pau na mão, eu sento até no colo do diretor. [ris