gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Lindomar Castilho

resultado encontrado

17 05 2012

Acordes de mais um bolero

Depois de alguns telefonemas, finalmente a entrevista estava confirmada. Lindomar Castilho sairia de Goiás para apresentar seu novo trabalho a algumas gravadoras em São Paulo e na primeira oportunidade conversaria com o Gafieiras. Como de praxe, pedimos para o entrevistado sugerir o local da en

17 05 2012

Eu era frentista de posto e cantava em lupanar

Lola – [distribuindo as bebidas] Sem gelo! Gelada! Vocês querem refrigerante? Coca-Cola? Querem um vinho?! Lindomar Castilho – [afinando o violão com o diapasão] Gravei um tempão com o Noite Ilustrada na Continental. Bom, com essa viola vai ser meio embananado. [risos] Faz um favorzi

17 05 2012

Fui ponta-esquerda do Sírio Libanês

Daniel Almeida – Lindomar, antes de seguir a carreira artística, qual era seu sonho? Lindomar – Um sonho a ser alcançado? Ser médico. Almeida – Era isso que seu pai queria? Lindomar – Não, o meu pai queria que a gente estudasse. Ele trabalhava para nos sustentar. Depois que

17 05 2012

Gravei meu primeiro LP com o maestro Élcio Alvarez

Monteiro – E em São Paulo... Lindomar – Daí uns tempos chegou outro telegrama: "Venha, estúdio marcado". Era o estúdio da Bandeirantes, que já estava mudando da Paula Souza, do outro lado do rio Tietê, de frente ao Mercado Municipal, quando este ainda era uma atração turística.

17 05 2012

Vendi muito disco nas três Américas, em Portugal e na Espanha

Monteiro – Na carreira artística muita gente se perde nesses primeiros caminhos. E você estava contando de seu espanto quando a orquestra começou a tocar. Você acha que isso mexe com a cabeça do estreante, "Puxa, essa orquestra vai me acompanhar!"? Lindomar – Flávio, mexe com a cab

17 05 2012

Eu e o Altemar Dutra viemos da escola do Lucho Gatica

Tacioli – Lindomar, depois que você gravou seu segundo disco, teve algo que lhe mostrou que você estava para se tornar um artista de grandes vendagens? Lindomar – No primeiro disco gravei somente Vicente Celestino, portanto, regravações. Vicente Celestino estava vivo e eu o conheci.

17 05 2012

Ué, conheço essa voz?!

Almeida – Lindomar, quero voltar um pouquinho. Quando você retornou à sua cidade, todo mundo disse "Pô, cadê o disco?!" Como foi isso? Lindomar – Voltei, e como esse tal disco não aparecia, comecei a cair fora da turma, porque eu não sabia explicar. Perguntava para o meu padrinho a

17 05 2012

Antes de rifar o meu coração, rifei o violão da serenata

Monteiro – Seus maiores sucessos, principalmente da fase 70, são composições suas. Quando você começou a compor? Lindomar – Composições minhas e de um parceiro, que está novamente na ativa, o Ronaldo Adriano. Ele esteve um pouquinho fora com o ocorrido comigo em 81. O baque foi m

17 05 2012

O movimento feminista precisava se escorar em pessoas públicas

Max Eluard – E o tempo que você passou no cárcere mudou sua vida? O que você repensou? Lindomar – Como acontece até hoje, nossa Legislação Penal favorece, na minha forma de ver mui sabiamente, aquele cara que é primário, ou seja, não é bandido! Se acontece uma situação em que

17 05 2012

Dei aulas de canto e violão na penitenciária

Max Eluard – Você pensou em abandonar a carreira quando cumpria a pena? Ou você esperar cumprir a pena e voltar em seguida à carreira? Lindomar – Não, não pensei, não! Eu abandonei. Max Eluard – Mas não pensava que poderia voltar? Lindomar – Não. Eu tô careca assim porq

17 05 2012

Pai, você deveria voltar a cantar, é a sua profissão!

Max Eluard – E quando você saiu da penitenciária, Lindomar, qual era a sua perspectiva de vida? Lindomar – Rapaz, acalentar um pouquinho a minha mãe, que ainda era viva, e passar a olhar as minhas coisas que os meus irmãos estavam tomando conta, coisas que eu gostaria de segurar para

17 05 2012

Tem gente que até hoje faz campanha "Não contrate o Lindomar"

Monteiro – Depois de cumprir a pena, você sofreu alguma represália? E existe ainda algum tipo de patrulhamento? Tacioli – Da imprensa ou do meio artístico? Lindomar – [risos] Existe até hoje. Tem gente que não gosta. Acho que é um direito pessoal, simples. Tem gente que faz at

17 05 2012

Morre a mãe do palhaço e ele vai ao circo fazer sua parte

Monteiro – Como surgiu esse disco pela Sony? Lindomar – O diretor da Sony, o Miguel Plopsch, soube que eu estava fazendo showzinhos pelo Sul, pelo Nordeste, pelo Centro-Oeste, e me chamou para bater um papo no Rio de Janeiro. Ele tinha uma proposta. O Miguel foi meu diretor na RCA quando

17 05 2012

Pretendo lançar um disco de músicas inéditas

Monteiro – Você tem músicas inéditas? Lindomar – Pois é, nesse disco ao vivo foi tudo regravação. Agora a gente pretende fazer um de música inédita para tentar, quem sabe, um sucesso. Monteiro – Já tem alguma coisa? Lindomar – Já, várias coisas. Sou muito ruim, não d