gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Thaíde

Thaide-940

Thaíde

parte 19/32

A gente ouve rap de madrugada, com raiva, sono, fome, sede...

Dafne – Você falou agora que, no começo, o rap teve mais espaço no underground do que na periferia. Há um tempo, sei lá um mês atrás, estava conversando com um amigo e ele começou falando sobre Racionais, que era uma bosta, mas generalizava para o rap brasileiro de um modo geral. Falando que não era ouvido na periferia, que ouvia pagode, axé, mas não rap.
Thaíde – Acho que não existe lugar que ouve mais rap que a periferia. Agora, se ele tiver citando vendagem de disco, posso até concordar porque a maioria compra pirata, copia da internet, aquela parada toda. Mas acho que não existe lugar que ouve mais rap que a periferia, e de qualquer parte do país. A gente ouve rap de madrugada, com raiva, sono, fome, sede, quando está a pampa, quando está triste, quando está alegre, toda hora é hora de ouvir rap. E é sempre misturado com forró, pagode, entendeu? E tudo junto, não tem jeito.
Dafne – Pois então, acabei ficando irritado…
Thaíde – Não precisa. Não exagera. [risos]
Dafne – É que depois comprei o DVD dos Racionais [ n.e. 1000 trutas, 1000 tretas, Cosa Nostra, 2006 ], com um show lá no SESC Itaquera e tinha muita gente, todo mundo cantando todas as músicas. Letras gigantescas e todo mundo cantando.
Thaíde – Racionais. Porque os caras fazem música boa, com temas polêmicos, que incomodam as pessoas, e o público gosta disso. Eles tem seguidores no país inteiro e são muito respeitados. Agora, existe esse lance do comentário de pessoas que dizem que o rap não é isso, não é aquilo, mas respeito porque de uma forma ou outra elas se sentem atingidas por isso também, de alguma forma. Ou elas se sentem atingidas pelas letras, ou pela popularização do estilo musical, ou não queriam que o gênero fosse popular assim, mas é, e aí vem esse descontentamento.
Dafne – Uma negação.
Thaíde – É, e a gente vive num país que não pode viver no clichê de ser democrático, tem que ser democrático mesmo! Acho que ele está certo, se é essa a opinião que ele tem e acredita, acho que tem que defender até o final, porque sempre vou defender que ele tá errado e é ignorante em termos de música.

Tags
Dj Hum
Hip hop
Rap
Thaíde
de 32