gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Sivuca

Sivuca-940

Sivuca

parte 19/19

O Hermeto é igual ao Brasil, não sabe o que possui

Tacioli – Sivuca, o que o senhor ouve em rádio hoje?
Sivuca – Nada. Às vezes, a Rádio Cultura FM, porque eu gosto muito de escutar clássicos. E da música brasileira atual escuto somente alguns instrumentais. E tem coisa boa da música de câmara. Por exemplo: tem um Villa-Lobos gravado por um quarteto, que não existe mais, mas que é uma obra-prima. Esse eu escuto em casa. E, no mais, é clássico, é música sinfônica, alguns instrumentais. Fico de vez em quando esperando algum lançamento que meu irmão Hermeto faz. No meio daquela doideira toda dele, quase tudo é precioso. O Hermeto é igual ao Brasil, não sabe o que possui. É o melhor músico que temos no Brasil. E, como eu disse antes, a música em Hermeto é uma patologia. Eu sou fã incondicional do Hermeto.
Tacioli – Vocês se falam sempre, Sivuca?
Sivuca – Sempre, sempre. Hermeto é meu irmão mais novo. É irmão mais novo mesmo e ele me ouve, porque ele tem uma coisa que eu não perdoarei nunca: ele é seis anos mais novo do que eu.
Tacioli – E ele apronta muito?
Sivuca – Parece que quando ele está junto comigo, ele se contém um pouco. Às vezes, ele quer aprontar, mas aí olha pra mim, e fica quieto, fica com mais cuidado.
Almeida – Vocês não pensam em fazer nada juntos?
Sivuca – Pensar eu penso, mas Hermeto tem a carreira dele à maneira dele; eu tenho a minha carreira à minha maneira. Somos muito parecidos, temos a mesma origem, mas trilhamos caminhos diferentes. Mas quando nos encontramos é aquela festa musical. Não precisa nem ensaiar. A gente se junta e toca, e o que sai, sai bom. Êta que eu estou com uma falta de modéstia hoje danada! [ risos ]
Glória – Tem idade pra isso, passou a vida toda…
Tacioli – Sivuca, a gente está encerrando. Vocês têm mais alguma pergunta?
Sivuca – O que eu tenho é o seguinte: eu considero pessoas como vocês, organizações, como verdadeiros bastiões da cultura no que diz respeito à música. E é por vocês que a verdadeira música brasileira sobrevive, não somente sobrevive, como continua. Continuem assim e terão sempre a amizade das verdadeiras vocações musicais no Brasil. E, mais uma vez, eu insisto para que os meus jovens, em vez de ficarem azucrinando nossos ouvidos com guitarras elétricas distorcidas, aprendam música. É só isso, obrigado.
Tacioli – Sivuca, muito obrigado.
Sivuca – Foi um prazer. Fiquei muito feliz de falar o que veio de dentro da minha alma, que tem muito mais alegria do que sofrimento. Aliás, tem tanta alegria, que só uso o sofrimento como ingrediente pra ajudar as flores do meu jardim nascerem com mais força.
Tacioli – Muito bom, Sivuca, obrigado.
Sivuca – Eu virei até poeta hoje… [ risos ]

Tags
Música instrumental
Sivuca
de 19