gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Sivuca

Sivuca-940

Sivuca

parte 18/19

Ouvir rádio é uma maravilha

Tacioli – Sivuca, como é o seu cotidiano? O que você gosta de fazer?
Sivuca – Eu gosto de ficar em casa, ler vez por outra, porque sou um pouco preguiçoso. Ouvir rádio, então, é uma maravilha. E agora eu tenho um terraço, que apelidei de meditônomo. É onde eu me sento pra contemplar a paisagem linda de João Pessoa. Volta e meia levo um violão e fico orando. Minhas orações são feitas através de teclado, de sanfona e de violão. E participar como músico e arranjador do último disco de Glória Gadelha, cujo título é maravilhoso, Tinto e tropical, foi uma grande maravilha. Está um disco bonito. Glorinha se superou como intérprete. Ela pensa que não canta, mas pra mim, uma das maiores intérpretes que o Brasil tem é a minha querida Glória Gadelha.
Glória – Ele fez uns arranjos lindos.
Sivuca – Os arranjos são maravilhosos.
Glória – Tem uns diálogos de sanfona com voz que é um negócio exuberante. E os arranjos dele estão primorosos. Fiz assim uma arrumação. Ele arranjou somente com piano, um cello e um contrabaixo. Está de chorar.
Sivuca – Resumindo, eu passei a morar em João Pessoa pensando que ia descansar, mas nunca trabalhei tanto na minha vida. O que, aliás, é muito bom isso, porque eu acho que a música é o meu canal direto com o supremo criador, com Deus.

Tags
Música instrumental
Sivuca
de 19