gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Irmãs Galvão

Irmãs Galvão. Foto: Dafne Sampaio/Gafieiras

Irmãs Galvão

parte 18/24

O Zeca Pagodinho é uma das coisas mais honestas

Max Eluard – Hoje, o que vocês gostam na música brasileira, independentemente do gênero?
Mary – Adoro o Zeca Pagodinho. Adoro. Fico muito emocionada com ele. Onde sei que ele está dando entrevista, eu paro para assistir. Choro com as coisas dele. Acho o Zeca Pagodinho uma das coisas mais honestas feitas atualmente. Então, tem muita identidade, porque sempre fomos nós mesmas e o Zeca Pagodinho é ele mesmo. Na rua, na televisão, no show, ele é sempre o mesmo.
Tacioli – E você, Marilene?
Marilene – Gosto da turma lá do Norte. Caetano, gosto muito do Gilberto Gil, da Gal Costa…
Mary – A Bethânia. A Bethânia teve um gesto com a gente… Aquelas coisas que… Nós somos bobas, né? Nós fomos ao aniversário da Roberta Miranda e a Maria Bethânia estava lá. Ele soube que nós íamos e foi lá por nossa causa. E quando a gente chegou, fez um gesto de reverência para nós. Pela amor de Deus! Não faz isso. “Não, eu tenho que fazer”. Então, a gente vai nos shows dela e ela sempre trata a gente com muito carinho. Quem mais?
Marilene – Gostava muito do Tião Carreiro. [ri]
Mary – Sandy & Junior também me emociona muito. Um tanto por saber da história da família e acompanhar de perto.
Tacioli – E musicalmente a dupla lhe agrada?
Mary – Alguma coisa. Acho que ela está extrapolando um pouquinho, né?
Almeida – Em que sentido?
Mary – Na interpretação. Acho que ela está ficando muito americanizada. Ela não precisa disso porque é uma grande intérprete.
Tacioli – As cantoras de hoje buscam suas referências vocais lá fora?
Mary – Ah, sim. Muito. E é uma das coisas que nós, da velha guarda, lutamos muito para que não acontecesse, mas acho que a juventude foi buscar… Os calouros… Você ouve os calouros e… [faz uma cara de desaprovação]
Marilene – Fui assistir ao show da Sandy & Junior com a minha neta… Ela tinha cinco anos na época. Tinham reservado um camarote onde estaria a Mariazinha, que é avó da Sandy e do Junior… Sentamos juntas. Estávamos ali… A minha neta empolgada porque tínhamos passado primeiro no camarim para conversar com eles, tirar fotos. E ali no camarote percebi que a Maria estava emocionada e eu também comecei a chorar. Aí ela segurou muito forte na minha mão e falou assim, “O que você tá sentindo?” Falei, “Estou sentindo uma coisa muito boa, porque o que a sua neta está fazendo lá, nós fizemos na idade dela, estivemos juntas. Hoje você está vendo sua neta lá e eu estou trazendo a minha neta, que é fã da sua neta”. Olha, estou até arrepiada! Nos emocionamos muito com isso.
Mary – E é gostosinho que quando a gente chega no camarim, os dois sentam no chão e ficam olhando para nós. Ficam namorando nós duas e a gente namora eles também. O amor é recíproco.
Marilene – Nós vimos eles na barriga. Fomos ao casamento dos pais. Vimos a Mariazinha grávida, quer dizer, acompanhamos tudo isso.
Mary – Ê, véia!
Marilene – Sai fora, meu! [risos]
Mary – Benzadeus!

Tags
Irmãs Galvão
de 24