gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Herminio Bello de Carvalho

Herminio-940

Herminio Bello de Carvalho

parte 8/18

O acervo é a coisa mais importante de uma emissora

Max Eluard  Essa invisibilidade se deve a quê?
Herminio  Você tem que pegar como espelho o que, bem ou mal, fazem os Estados Unidos. Vou dar um exemplo: quando morreu o Sammy Davis Jr., apareceu no Jornal Nacional uns belos cinco minutos sobre a morte dele. Mas ele apareceu: primeiro já bem ruim… Não sei se foi câncer, o que foi, mas apareceu numa festa que fizeram em homenagem a ele, com a Ella Fitzgerald cantando, a Sarah Vaughan, os grandes astros cantando em homenagem a ele. E, logo em seguida, ele apareceu sapateando aos cinco anos de idade. Eu estou, desde que o Jacob do Bandolim morreu em 69, procurando uma imagem dele em movimento e não consigo. Vou começar a falar mal da TVE [ri]… Estou brigando! Vi essa entrevista no Globo, que foi distorcida… Já mandei uma carta para a presidenta da TVE denunciando issoe e que o meu acervo está perdido lá, assim como o acervo do Jacob do Bandolim estava no Museu da Imagem e do Som. Uma parte dele já foi perdida. Ele microfilmava a partitura e ia no avião estudando. Tem uma foto linda dele estudando! E ele nem pegava o instrumento. Chegava lá e tocava. Era um gênio! E esses microfilmes estão todos corroídos pelo tempo, perdidos, assim como algumas fitas do meu programa estão mofadas, e eu não tenho dinheiro para recuperar isso. Acho que era um dever da TVE, já que não coloca em circulação. Era uma obrigação fazer um programa dedicado ao próprio acervo que ela construiu. E uma forma de você manter o acervo é usá-lo. Usar e mudando de mídia para que você tenha suportes novos para poder mostrá-lo futuramente. O acervo é a coisa mais importante de uma emissora. Ontem, aqui em São Paulo, na Bandeirantes, o irmão do Paulinho da Viola me telefonou para dizer que um cara da rádio não-sei-de-onde havia achado um material imenso de fotos que foi jogado no lixo, que era, acho, da Gazeta, que foi da TV Cultura, não sei direito o que era. Eu estava num outro telefone. Passei notícia para o Pavan. Talvez ele saiba. Jogam no lixo ou não tratam e põem num depósito. Aí, volta e meia tem um incêndio, como já teve o da TV Globo, do Museu de Arte Moderna, aquele da TV Record, e essa coisa se perde. Acham que aquilo é um incômodo. Aquilo é uma fortuna que eles não sabem. Ele não têm competência para aproveitar, esse é o problema.

Tags
Herminio Bello de Carvalho
de 18