gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Heraldo do Monte

Heraldo do Monte. Foto: Jefferson Dias

Heraldo do Monte

parte 2/18

Nossas férias são com móveis

Tacioli – Heraldo, você falou de futebol. Tirando o Corinthians, você torce pra quem?
Heraldo do Monte – Vem assim: Náutico, Flamengo, Santos. Náutico, Flamengo, Santos. De vez em quando eu empato comigo mesmo, ganho de mim mesmo, e assim vai. A Lurdes vai para o Sul. Eu fico por aqui. Náutico, Flamengo e Santos.
Tacioli – Você nasceu onde? Em Recife também?
Lurdes – Em Recife.
Max Eluard – E como é que chegou no Grêmio?
Heraldo do Monte – Pois é. Andou pra caramba, né?
Lurdes – De coração mesmo.
Max Eluard – Na hora que olha e identifica.
Lurdes – Olha e fala “esse é o meu”.
Heraldo do Monte – Tem umas posições que…Eu não estou com o Mal de Parkinson, não, aí eu me lascava. Não tocava nunca mais. Mas tem posição que fica engraçado.
Lurdes – É o cotovelo, né, meu bem?
Heraldo do Monte – Não, é o peso da xícara.
Manoela Ziggiatti – É pesada essa xícara.
Heraldo do Monte – E cheia de chá então…
Tacioli – E no Tucuruvi vocês moram há muito tempo?
Heraldo do Monte – Zona Norte desde que a gente chegou em São Paulo.
Max Eluard – Nos anos 50?
Heraldo do Monte – Bem fim dos anos 50, quase 60.
Lurdes – Cinquenta e nove.
Max Eluard – Naquela época era mais longe ainda o Tucuruvi. Hoje em dia não é mais tão longe. Antigamente era mais longe.
Heraldo do Monte – Naquela época tinha bondinho, né? Tinha bondinho. Ou tinha trem?Lurdes – Tinha bondinho que atravessava a Avenida Tucuruvi e ia lá para Cupu-Uva.
Heraldo do Monte – Como era o nome? [risos]
Lurdes – Cupu-Uva.Heraldo do Monte – Cada lugar de São Paulo, né?
Tacioli – E nessa casa que vocês estão faz muito tempo já?
Lurdes – Nessa uns três anos.
Heraldo do Monte – A gente muda muito.
Tacioli – Por que muda muito?
Heraldo do Monte – Pra essa casa a gente começou esses três anos. A gente estava vindo de dois anos em Recife. De vez em quando a gente muda pra Recife. Umas férias de um ano, dois anos, assim…
Max Eluard – Descansar de São Paulo um pouco.
Heraldo do Monte – Nossas férias são com móveis. [risos] Legal, né? Eu tenho uma porção de irmãos lá e amigos. Eu vim pra cá… Amigos de infância, de moleque. Eu vim pra cá adulto.
Cirino – Sempre quando você volta. Você sempre volta para o Tucuruvi.
Heraldo do Monte – Sim. Jardim São Paulo, Tucuruvi, Zona Norte.
Lurdes – Nossas filhas moram tudo lá no Jardim São Paulo.
Heraldo do Monte – Zona Norte.
Lurdes – E o Luís lá em Santos. [n.e. O guitarrista, compositor, produtor e educador Luís do Monte (SP, 1962)]
Heraldo do Monte – São Vicente, né?!
Lurdes – São Vicente.

Tags
Heraldo do Monte
de 18