gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Dona Inah

Dona Inah por Jefferson Dias

Dona Inah

parte 9/25

O Cidão corria até o mercado comprar frango

Gafieiras – Dona Inah, e como sua relação com o bar do Cidão?
Dona Inah – Quando o Cidão abriu esse bar, nós começamos – eu e o João Macacão (cantor e violonista) – a cantar aqui.
Gafieiras – E isso foi quando?
Dona Inah – Ah! Nem lembro mais, faz uns cinco anos, acho. Foi em 2000, né? Eu comecei a cantar aqui; morava em Taboão da Serra. Vinha de lá até aqui. Ele falava: “Eu pago o couvert pra você!”. Ah! No fim da noite, o Cidão vinha falar: “Inah, tem quatro reais!”. Aí eu falava: “Dois paus pra cada um!”. [ risos ] O João falava: “Já que você pega condução, você leva os quatro!”. O Cidão falou quantas vezes: “Inah, eu vou fechar isso aqui! Não quero saber mais, vou acabar com tudo!”. “Cidão, você vai vencer, continua! Se depender, fico aqui até quando você precisar de mim!”. E a gente continua aqui, junto aqui com ele. Depois foi que eu arrumei outro trabalho, a casa tava pegando, sabe? Nós ficamos mais de um ano aqui com a casa fracassada e ele lutando, mas dou graças a Deus por ele ter vencido também, porque lutou muito pra ter essa casa.
Gafieiras – E tem alguma história que marca essa passagem pelo bar do Cidão?
Dona Inah – Aqui sempre tive coisas boas… Cidão é uma pessoa que sempre tratou bem os músicos, trata bem a gente, não tem nada de histórias.
Gafieiras – Uma história engraçada… Nada lhe vem à cabeça?
Dona Inah – Não.
Gafieiras – Esse primeiro ano foi difícil. Mas teve um momento mais animado?
Dona Inah – Depois o pessoal começou a trazer os amigos. Aí pegou. As pessoas vinham aqui pra ver o bar do Cidão… No começo, às vezes, chegava a pessoa e falava: “ Cidão, quero um frango a passarinho!”. O Cidão saía correndo para o mercado buscar o frango. Chegava aqui e fritava. Então, hoje ele venceu, hoje ele é um vencedor, e eu peço a Deus para que lhe dê mais e mais porque ele merece. Lutador, vencedor, ele merece vencer.
Gafieiras – Dona Inah, a senhora recebeu convite de trabalho cantando aqui?
Dona Inah – Já. Tiveram vários trabalhos em festas, pessoas que vieram procurar a gente, entendeu? E a gente sempre faz trabalho por aí.

Tags
Dona Inah
de 25