gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Angela Maria

Ângela Maria por Thaís Taverna

Angela Maria

parte 11/11

Ana Carolina é a minha cantora

Tacioli – Temos mais uns cinco minutinhos pra gente encerrar, pra você tomar um refresco. Angela, você falou dos fãs, do perfil no Facebook, como é essa relação com os fãs hoje em dia?
Angela Maria – Agora eu tenho essa relação com os meus fãs que acho maravilhoso porque posso conversar com eles (por meio da Internet); vou uma invenção do Daniel com o Rodrigo, para eu ter mais intimidade, falar mais com os meus fãs, porque eles vão assistir aos meus shows e naquela loucura em que não tem tempo de receber todo mundo, porque são muitos, mas através do Facebook eu tenho oportunidade de conversar com eles, de contar coisas da minha carreira, dizer o que vou fazer, dos meus projetos. Tudo através do Facebook. Eles estão achando maravilhoso. Às vezes um fã está aniversariando e falo com ele através do Facebook. É lindo isso, né? Eu também estou achando maravilhoso isso. Foi uma invenção do Rodrigo e do Daniel. De vez em quando o Rodrigo vai lá em casa. O Rodrigo é o presidente do fã clube. O Daniel é o conselheiro master. [risos]
Tacioli – Conselheiro master?
Angela Maria – Mas o meu fã clube não vai ficar somente nisso, não. Vai ter também uma coisa social, por exemplo, quando tem uma enchente ou coisa parecida e está precisando de alimentos, produtos de limpeza, de roupas, de tudo, o meu fã clube vai ajudar. Serviço social! Pra isso que quero fã clube, não quero fã clube para “Angela Maria é a maior!”, nada disso. Vamos ajudar aqueles que precisam por meio do fã clube. Então é isso que nós estamos fazendo. De repente fazer uma crechezinha também, essas coisas.
Max Eluard – Uma última curiosidade: você chegou a estudar canto, a estudar música formalmente?
Angela Maria – Não, nunca, não conheço uma nota. Não, minto, só a de dinheiro. [risos] Nota musical, nenhuma.
Max Eluard – Todo esse virtuosismo é só da prática e do feeling.
Angela Maria – Digo que é tudo coisa de Deus.
Tacioli – Angela, e quem carrega hoje sua herança artística, seu estilo? Você se reconhece em alguém?
Angela Maria – Não, acho que ninguém, ninguém, infelizmente, gostaria, mas ninguém.
Pavan – Mesmo em outros estilos de uma geração mais nova, quem você admira, acha que tem talento ou acha interessante?
Angela Maria – Bom, eu gosto Ana Carolina. Ana Carolina é a minha cantora agora, porque ela me lembra um pouco a Elis Regina e um pouco a Maysa, que é uma cantora que admirava muito. Então, eu gosto da Ana Carolina. Ela está meio lá e meio cá.
Lia Machado Alvim – Você gosta de estilo voz e violão?
Angela Maria – Aliás, é um estilo dele (do produtor Thiago Marques Luiz), ele quer fazer um show de voz e violão, né?
Thiago Marques Luiz – E vamos fazer, já está agendado. É um novo projeto.
Angela Maria – É coisa do Daniel.
Thiago Marques Luiz – Não é coisa minha, na verdade, é coisa do Daniel.
Angela Maria – Voz e violão, vamos fazer, né? No Rio?
Thiago Marques Luiz – No Rio e em Araras.
Tacioli – O violão é de quem? Do Ronaldo? [n.e. Atuante desde fins da década de 1960, o violonista, cantor, arranjador e compositor Ronaldo Rayol foi músico-acompanhante de seu irmão, Agnaldo Rayol, e é instrumentista de Cauby Peixoto, Vânia Bastos e Angela Maria]
Thiago Marques Luiz – É, do Ronaldo.
Angela Maria – É um grande violão, o cara toca pra caramba.
Tacioli – Na década de 50, nesse período, havia várias compositoras-cantoras – a Maysa, Dolores Duran… Você nunca se interessou em compor? Pelo que vi você tem uma música, não é isso?
Angela Maria – Não.
Tacioli – Nenhuma?!
Angela Maria – Não, eu não tenho nenhuma música.
Tacioli – Mas você já pensou em compor?
Angela Maria – Não, também não. Não é a minha praia compor, eu já quero pronto. [ri]
Tacioli – Acho que é isso. Quero em nome do Gafieiras agradecer a sua atenção e disposição em vir até aqui.
Angela Maria – Que é isso, estou a disposição sempre que precisar.
Lia Machado Alvim – Alguma coisa que você gostaria de falar e que a gente não te perguntou?
Angela Maria – Não, não, vocês já me perguntaram tudo, já entraram na minha vida direto. [risos]
Tacioli – Tudo enxerido!
Angela Maria – Não é? [risos] Eu contei tudo! Tudo, não! [ri] Mas contei um bocado de coisa, né?
Lia Machado Alvim – Contou.
Thiago Marques Luiz – E tem o DVD que saiu no ano passado pelo Canal Brasil, que é o documentário dela.
Tacioli – Da biografia é a primeira?
Thiago Marques Luiz – É. E faz tempo que o Rodrigo Faour quer escrever, mas só agora que ela… Não é, Daniel?
Daniel D’Angelo – Faz um tempo.
Tacioli – Angela, está quase pronta a biografia. Como é esse processo de você mergulhar a fundo na sua vida por meio do biógrafo, é fácil?
Angela Maria – Não é fácil, não.
Tacioli – Porque vai mexer em umas gavetas.
Angela Maria – Não é fácil nem pra ele, nem pra mim. É difícil porque são coisas que a gente faz todo o possível pra esquecer, pra enterrar, coisas muito ruins, muito feias, da infância, da juventude e, de repente, você tem que colocar tudo num livro, tem que lembrar de tudo. Então, realmente, não é fácil.
Tacioli – Mas para o livro você acha importante ter isso registrado?
Angela Maria – É muito importante, é importante. (silencia)
Tacioli – É isso. Angela, muito obrigado mais uma vez.
Angela Maria – Muito obrigado pela oportunidade de poder falar com vocês.
Max Eluard – Deixa eu te libertar (desse microfone).
Thais Taverna – Posso só fazer umas fotos de perto?

(…)

Lia Machado Alvim – Daniel, nesse (disco de) voz e violão, qual é o repertório?
Daniel D’Angelo – Eu tive a ideia, o resto é com ele. Ele é que sabe tudo?
Tacioli – Vocês não comeram o bolo?
Lia Machado Alvim – O que ela vai cantar nesse voz e violão?
Thiago Marques Luiz – Em voz e violão dá pra ela cantar coisas que ela canta em casa. Não é, Angela, no nosso projeto de voz e violão dá pra abusar, dá pra fazer um repertório de coisas que ela gosta de cantarolar em casa e ficar à vontade. É um show pra ficar à vontade. A gente fez com o Cauby e deu super certo, mas ele já fez esse projeto dois anos atrás. E agora a gente vai fazer com a Angela.
Lia Machado Alvim – É bem bacana.
Thiago Marques Luiz – É diferente, ela nunca fez nenhum show de voz e violão.
Tacioli – Muito bom. Tem doces…
Thiago Marques Luiz – Quer um bolinho de fubá, Angela?
Angela Maria – Não, muito obrigado.

(…)

Angela Maria – E aí, bem?
Daniel D’Angelo – Vamos?
Thiago Marques Luiz – O carro já está aí embaixo, se vocês quiserem ir?
Angela Maria – Então, vamos.

Tags
Angela Maria
de 11