gafieiras

gafieiras

Entrevistas de música brasileira

Matias, Ricardo Alexandre e PAS

Alexandre Matias (e.), Ricardo Alexandre e Pedro Alexandre Sanches. Foto: Dafne Sampaio/Gafieiras

Matias, Ricardo Alexandre e PAS

parte 38/38

Preciso ligar para a minha mulher!

Tacioli – Da mesma forma que você falou do Lindomar com relação ao Gafieiras ou dos ciganos que levam um público diferente para o seu blog, de repente a capa da Rolling Stone também gera esse efeito.
Matias – Essa é uma discussão que está acontecendo agora na internet sobre a necessidade de você ter uma home page, se a maioria da pessoas entra no site depois de procurar algo no Google e cair numa segunda página. O que acontece hoje em termos de publicidade, e não de conteúdo, é “Por que o banner que fica na capa é mais caro do que um anúncio que está no interno e tem uma visitação maior?” E isso vai sair da internet e voltar para a gente de novo, até o ponto de chegar a esse exemplo da Vida Simples, em que não se pergunta o que está na capa.
Pedro Alexandre – Pode pôr um xaxim.
Matias – Pode pôr um xaxim, tranquilamente.
Ricardo Alexandre – A idéia está lançada, pessoal.
Pedro Alexandre – Vamos dar uma festa quando o xaxim for para a capa.
Dafne – Xaxim é o título (da entrevista).
Max Eluard – Já tem a foto da home da entrevista. [risos]
Tacioli – Então, gente, é isso. Obrigado pelo papo.
Matias – Obrigado pelo convite.
Max Eluard  Depois de um dia extenuante de trabalho aguentar…
Tacioli – Três horas.
Matias – Não, foram mais.
Pedro Alexandre – Meia noite e cinco?
Ricardo Alexandre – Meia noite e cinco?
Matias – Meia noite ou uma?
Almeida – Uma e cinco, é verdade!
Ricardo Alexandre – Preciso ligar para a minha mulher. [risos]
Max Eluard – Preciso ligar para o meu advogado.
Dafne – Preciso ligar para o vizinho debaixo.
Tacioli – Ricardo, Alexandre e Pedro, vamos tirar umas fotos no sofá, um lugar mais claro.

[Dafne ajusta a luminária e clica]

Matias – Daqui a seis meses estará no ar? [risos]
Dafne – O cara está zuando.
Matias – O Ricardo volta para a Abril. [risos]
Dafne – “Esqueçam tudo o que falei!”
Tacioli – O Roberto Carlos censura o livro do Pedro.
Pedro Alexandre – Daí vocês colocam no final o que aconteceu.
Matias – Como nos filmes: “Alexandre Matias foi visto pela última vez…”.
Dafne – Agora, não olhem para mim.
Ricardo Alexandre – Olhem para mim.
Matias – Parece banda indie.
Ricardo Alexandre – Capa do Los Hermanos.
Matias – Agora você é indie. [dirigindo-se a Ricardo Alexandre]
Dafne – Encostem um no outro. [risos] Relaxem. Encostem um no outro. Levanta o braço, Matias.

Max Eluard – Tem futebol nesta semana?
Tacioli – Se não chover, tem.
Max Eluard – Vamos pegar outra quadra.
Tacioli – Vamos ver se dá.

Tacioli – Para onde você vai, Pedro?
Pedro Alexandre – Vou pra Santa Cecília.
Matias  Vou pro Sumaré.
Max Eluard  Sumaré é meu caminho. Estou no Sumarezinho.
Pedro Alexandre – Mas eu chamo um táxi?
Dafne – Você tem telefone do táxi?
Max Eluard – Eu levo.
Pedro Alexandre – Também não é tão longe.
Max Eluard – É do lado.
Ricardo Alexandre – Se uma entrevista de uma hora leva um ano para publicar, esta então…
Tacioli – Já tivemos maiores, não? Do Moacyr Luz? Pensamos em colocar um trecho em podcast, coisa que a gente nunca fez.
Matias – Vocês já têm podcast agora?
Tacioli – Não. [risos]
Dafne – O Tacioli nem sabe onde encontrar.
Max Eluard – Vamos lá. (…) O pessoal da Santa Cecília e do Sumaré eu levo.
Dafne – Certo. Segue a caravana da Santa Cecília…

Tags
Jornalismo cultural
de 38